RCA e Museu do Índio organizam reunião sobre gestão de patrimônios culturais indígenas

A Rede de Cooperação Alternativa RCA-Brasil está organizando em parceria com o Museu do Índio, da Funai, um encontro temático sobre a gestão de patrimônios culturais indígenas.  O encontro, que deverá ocorrer de 26 a 30 de setembro, nas dependências do Museu do Índio, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, deverá reunir cerca de 35 representantes indígenas e indigenistas das organizações que compõem a RCA e técnicos do Museu do Índio.

Serão apresentadas e discutidas as experiências de gestão e valorização de patrimônios culturais dos povos do Rio Negro e Vale do Javari (na Amazônia), Yanomami (Roraima), Xingu (Mato Grosso), Timbira (Maranhão), Tiriyó, Kaxuyana e Wajãpi (no Amapá) além de iniciativas conduzidas no Acre. A intenção é sistematizar boas práticas de gestão cultural e iniciativas de valorização cultural, que vem sendo desenvolvidas nos últimos anos, identificando pontos fortes e fragilidades que possam ser enfrentadas. Experiências com museus e centros culturais indígenas, além de programas de formação de pesquisadores indígenas que se voltam para o seu próprio universo cultural para documentar, sistematizar e difundir conhecimentos estarão na pauta do Encontro. Os participantes conhecerão, ainda, as dependências do Museu do Índio e o trabalho realizado na instituição de promoção das culturas indígenas no Brasil. Espera-se que, ao término do mesmo, os participantes proponham um documento com sugestões para as políticas públicas voltadas às culturas indígenas.

0 Comentários

    Deixe um comentário

    vinte − sete =

    XHTML: Você pode usar essas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

    Rede de Cooperação Amazônica

    A RCA tem como missão promover a cooperação e troca de conhecimentos, saberes, experiências e capacidades entre as organizações indígenas e indigenistas que a compõem, para fortalecer a autonomia e ampliar a sustentabilidade e bem estar dos povos indígenas no Brasil.